Pular para o conteúdo principal

“Supermax”, série de terror que estreia hoje na Globo!

supermax

As referências vão de “Lost” a “The Walking Dead” intercalando com outras séries e filmes de suspense e terror dos últimos quinze anos. “Supermax”, a nova atração da Globo, que estreia hoje (20/09) na TV aberta, não apresenta nada de original. Pelo contrário: vem recheada de todos os mais batidos clichês que fazem a festa dos fãs do gênero. E nem poderia ser diferente: terror, sustos, sangue, monstros, seres ou almas de outros mundos usados para potencializar o medo povoam o imaginário coletivo desde a mitologia greco-romana, passando pelas pinturas de Bosch e romances de aventura de Julio Verne.
Não é original para quem está acostumado ao gênero. Entretanto, a  emissora aposta em algo pretensioso e inédito na TV brasileira: o terror vendido com o padrão da televisão americana. Zé do Caixão já havia usado a fórmula no cinema e na TV, mas tudo dentro de seu estilo e orçamento. A Globo aposta alto. Para isso, deu total liberdade de criação ao diretor artístico José Alvarenga Jr. e a uma equipe de roteiristas antenada, gente de cinema e literatura: Carolina Kotscho, roteirista de cinema, Raphael Draccon, autor da trilogia literária de fantasia “Dragões de Éter”, Fernando Bonassi, do romance “Luxúria”, Bráulio Mantovani, do filme “Cidade de Deus”, e Denisson Ramalho, especialista em filmes de terror.
“Supermax”, a princípio, parece um reality-show (com direito a participação de Pedro Bial na estreia). Logo no segundo episódio, os 12 confinados num presídio de segurança máxima no meio da Amazônia percebem que algo está errado. Abandonados à própria sorte, os personagens se digladiam pela sobrevivência enquanto fatos bizarros acontecem. A atração vai ao ar sempre após as 23 horas e não poupa o telespectador de tudo o que o horário permite: sexo, nudez frontal, palavrões nunca antes ouvidos na TV aberta, violência, mutilação e muito sangue. Mas nada é gratuito, tudo está no contexto do programa.
supermax_partipantes
Até a metade, a narrativa é confusa. No afã de apresentar os personagens e a tensão crescente entre eles, o roteiro parece uma metralhadora desgovernada, atira para todo lado. Alguns diálogos são ruins e alguns atores parecem mal dirigidos. Um estranhamento que vai se diluindo com o avanço da trama, à medida que escolhemos quais personagens gostamos e quais odiamos (comum no público em séries com vários personagens e realities de competição). Fica a dúvida se a canastrice inicial é proposital – afinal de contas, participantes de realities de confinamento são canastrões no início, até as máscaras começarem a cair.
A ideia de iniciar a história a partir de um reality-show é boa – o reality serve à narrativa. Os personagens têm os vícios de quem conhece a dinâmica desses programas intensificados pelo fato de nenhum deles ser flor que se cheire: todos tem dívidas com a sociedade, são culpados de algum crime. Ou seja, a princípio, ali ninguém é amigo de ninguém. Todos desconfiam de todos e de tudo – inclusive – e principalmente – o telespectador. Não se sabe o que é real e o que é delírio e tudo pode acontecer. Assim como nada. O que é ruim, pois confunde e irrita o público.
Só a partir do sexto episódio – depois que conhecemos bem os participantes – a história ganha estofo e as peças começam a se encaixar. A tensão só aumenta e o programa melhora muito a cada episódio. A narrativa avança abusando de efeitos especiais, fantasia e pirotecnia, mas nunca fazendo cair o interesse pelo desfecho da história. Desfecho esse ainda desconhecido, já que a emissora disponibilizou no Globo Play todos os episódios menos o final, que só vai ao ar em dezembro.
supermax_presidio
“Supermax”, definitivamente, é uma atração de nicho, não é para todos os gostos. Os fãs de séries americanas gostarão se deixarem de lado o preconceito por essa ser uma produção brazuca e entenderem que ela não se pretende original. Pelo contrário, merece endosso só pela ousadia da Globo em apostar nesse formato inédito. E é um excelente começo.
Fonte: Nilson Xavier / TV & Famosos / Uol Entretenimento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Veja como são os atores de ‘Esquadrão Suicida’ sem a maquiagem dos personagens

Esquadrão Suicida está fazendo barulho há pelo menos um ano. Agora que o filme estrou a maioria dos críticos torceu o nariz. E os fãs adoraram. Mas pouca gente conhece o elenco do filme. Além de Viola Davis, Will Smith e Jared Leto, a maioria dos outros atores não é conhecido do grande público. Vamos dar uma olhada então na cara desse povo sem a maquiagem pesada do filme: Arlequina – Margot Robbie Magia – Cara Delevingne Coringa – Jared Leto Pistoleiro – Will Smith Jai Courtney – Bumerangue

O CLONE RESUMO DO PENÚLTIMO E ÚLTIMO CAPÍTULO

Lucas não encontra a casa de Jade. Edna dá a entrevista. Ali e Zoraide se casam. Albieri e Leo vão à festa. Zein, pensando que Leo é Lucas, lhe dá o endereço de Jade. Leo e Lucas se encontram cara a cara na Medina. Leo e Lucas discutem. Leo corre tentando se desvencilhar de Lucas, que o persegue. Zoraide quer trocar o ouro a que tem direito pelo perdão de Jade. Por telefone Júlio conta para Albieri o que Edna disse na entrevista. Albieri fica atordoado. Nazira vê Miro ao longe em um cavalo. Miro chama Nazira para ir com ele e o cavalo foge voando. Alicinha tenta emocionar Aurélio, mas ele não volta atrás. Mel sente medo na hora de sair da clínica. Cecéu convida Nando para a sua formatura. Nando reclama que não consegue mais se concentrar e Cecéu mostra um jornal onde diz que a banda dele está nas paradas de sucesso. A mãe de Regininha não a deixa entrar em casa. Maysa dá o apartamento que havia montado para Mel e Xande. Mel aproveita a família reunida e pede perdão a todos. Tavinho pr…

O CLONE RETA FINAL: NASCE O FILHO DE KARLA

A situação de Tavinho (Vitor Fasano) começa a se complicar em "O Clone". Após chamar a imprensa para registrar o nascimento de Tavinho Jr. no hospital, Odete (Mara Manzan) volta com Karla (Juliana Paes) para casa decidida a cobrar os direitos da filha e do neto. Odete chega a comentar com Noêmia (Elizângela) que já entrou na justiça contra Tavinho e que pretende pedir R$ 15 mil de pensão para o neto. Noêmia estranha e sugere a Odete que ela simplesmente ligue para o pai e "avise na boa". Odete explica que Tavinho não aceitará tão
fácil assim e Karla complementa dizendo que Lidiane (Beth Goulart), a mulher de Tavinho, é muito ciumenta.