sexta-feira, 26 de junho de 2015

Ator mirim de 'Despedida de Solteiro', Patrick de Oliveira é diretor de TV e tem uma escola de teatro

Você pode até não se lembrar da trama de Despedida de Solteiro (1992), mas certamente guarda na memória o sorriso maroto de Patrick de Oliveira. O menino que despontou para o estrelato como o Léo, filho adotivo de Vitório (Elias Gleizer), marcou presença em outras produções da TV Globo, até passar para o outro lado do estúdio; hoje, atua como diretor. A partir da próxima segunda-feira (29), no entanto,Patrick está de volta às telinhas no canal VIVA, em três momentos distintos de sua carreira: em Fera Ferida, na já citada Despedida de Solteiro e em A Muralha. Batemos um papo com o Patrick, sobre esses trabalhos e seus atuais projetos, profissionais e pessoais.
Patrick Oliveira (Foto: Arquivo pessoal)Patrick Oliveira lembra a carreira e fala sobre o momento atual

- Despedida de Solteiro marca sua estreia na TV? Como foi seu ingresso no meio televisivo?
Na verdade, não foi minha estreia na TV. Já tinha apresentado o programa Cometa Alegria, na Manchete, e feito propagandas como “o garoto esperto, 07 de anos de praia” do Sundown. A novela foi minha estreia na TV Globo. E não poderia ter sido melhor: um grande time de atores que me ensinaram muito!
Leonardo (Foto: Reprodução TV Globo)Como o Léo, seu personagem em 'Despedida de Solteiro'

- O Léo, seu personagem em Despedida de Solteiro, é de extrema importância no desenvolvimento das tramas de Marta (Lucinha Lins), Sérgio Santarém (Marcos Paulo) e Vitório (Elias Gleiser)? Quais momentos da trajetória do personagem foram marcantes para você?
Acho que quando a Marta começa a rondar a casa do Vitório, para se aproximar do filho, é um momento muito legal da trama. O ciúme do Vitório com o Léo trouxe uma identificação muito grande com o público. Depois, mais pro fim, a aproximação do Sérgio Santarém... Foi muito marcante também!
- Como foi atuar ao lado de ícones da televisão, como os saudosos Cláudio Marzo em Fera Ferida e Elias Gleiser em Despedida de Solteiro?
Dois monstros sagrados da televisão com os quais tive a honra de contracenar! A televisão precisa desses ícones, atores altamente voltados para o ofício da atuação. A nova geração de atores às vezes me preocupa com relação a isso; a vontade de ser famosos não pode ser o foco, o sucesso é a consequência do trabalho. Esses dois nos deixaram, mas vamos nos lembrar deles sempre, por tudo que fizeram como atores. Essa dedicação é muito importante. Trabalhar com eles foi uma verdadeira escola para mim.
Bibi (Fernanda Nobre) e Léo (Patrick de Oliveira)  (Foto: CEDOC/TV Globo)Bibi (Fernanda Nobre) e Léo (Patrick de Oliveira) em "Despedida de Solteiro"

- Chama atenção em Despedida de Solteiro o seu entrosamento com Fernanda Nobre, a Bibi. Sobrava tempo pra brincar entre uma cena e outra? Como era gravar em ambientes tão lúdicos, como a casa de Vitório e o campo de flores?
Sempre me diverti nas gravações. Gostava de estar ali, não era uma obrigação. O personagem tinha um mini bugre que eu adorava dirigir! Além de uma casa na árvore muito maneira... Eu e a Fernanda nos divertíamos ali!
- Você esteve em outros trabalhos, como A Próxima Vítima e Pecado Capital. Como é crescer no ambiente televisivo?
Muita gente acredita que quando começamos a trabalhar criança, parte da infância está perdida. Mas no meu caso não foi assim. Comecei na profissão aos três anos, realmente cresci dentro da TV; isso me fez amadurecer mais cedo, criar responsabilidade, mas sem perder o lúdico da criança. Sempre brinquei, sempre estive com meus amigos; não trocaria uma vírgula da minha infância. Mas tudo isso consegui graças a uma base familiar forte. Minha mãe sempre esteve comigo e esse apoio é muito importante. O meio televisivo é muito glamoroso e se o ator que estiver em início de carreira não tiver uma orientação boa, tem chances de se deslumbrar com aquilo tudo e aí que mora o perigo!
Com Vera Holtz e Lima Duarte em Com Vera Holtz e Lima Duarte em "A Próxima Vítima"

- Já adulto, você participou de A Muralha, que o VIVA reexibe no final de junho. Como foi embarcar nessa viagem no tempo, rumo ao século XVII, em que se passa a história da minissérie?
Além de A Muralha, fiz Amazônia (de Glória Perez). A Muralha foi um trabalho muito especial; por fazer um índio, tive que fazer muitos laboratórios. Fiz vários workshops sobre o universo indígena, além de ter que raspar os pelos do corpo inteiro, inclusive as sobrancelhas. São os ossos do ofício! Foi um trabalho mágico que levarei comigo para sempre.
Amo dublar; é uma profissão muito legal e um exercício de ator incrível! E na verdade, nunca me afastei da TV, acabei indo pra atrás das câmeras"
Patrick de Oliveira
- Quais foram suas atividades após se afastar da TV?
O meio artístico é o que eu amo e jamais vou deixar de estar inserido nele. Só que na profissão de ator temos que abrir várias frentes e uma delas foi a dublagem. Dublo desde os oito anos. Pude dar voz a personagens marcantes como Simba, do Rei Leão, GasparzinhoLinguado de A Pequena Sereia e muitos outros. Amo dublar; é uma profissão muito legal e um exercício de ator incrível! E na verdade, nunca me afastei da TV, acabei indo pra atrás das câmeras. Me formei em cinema, comecei a produzir curtas metragens até voltar para a TV, dirigindo por cinco anos o programa Balanço Esportivo, na CNT. Atualmente, estou dirigindo o programa Os Donos da Bola, da Band.

- Hoje você tem uma escola de teatro, a Cena. Como surgiu este projeto?
Cena é um projeto muito legal, a união de vários atores como Daniel Ávila, Paulo Mathias Jr., Ed Oliveira Roney Vilella, ensinando o ofício da arte. Queremos formar atores de verdade; como falei anteriormente, não podemos nos apegar ao glamour. Aqui não vendemos o sonho de ser famoso e sim a importância da carreira de um ator. O feedback dos alunos tem sido sensacional! Somos uma grande família lá. Estamos há cinco anos com oCena, Centro Nacional das Artes, e espero completar cinquenta anos lá!
Patrick e Thalita Ribeiro, que também começou criança na TV (Foto: Acervo Pessoal)Com a esposa Thalita Ribeiro, que também começou criança na TV



- E a vida pessoal de Patrick de Oliveira? O garotinho de Despedida de Solteiro já casou? Tem filhos?
Vai muito bem! Hoje sou casado com a Thalita Ribeiro, que tem uma história parecida com a minha. Começou criança na TV, como paquita, e hoje, além de atriz, é repórter da Rede TV!. Filhos certamente virão, mas não agora... Queremos aproveitar um pouco mais nosso casório!
Patrick de Oliveira também fez parte do elenco de Patrick de Oliveira também fez parte do elenco de "Caça Talentos"
FONTE SITE VIVA

Nenhum comentário:

Postar um comentário