sábado, 11 de abril de 2015

Despretensiosa, estreia de “Os Experientes” surpreende pela qualidade

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
Assim como “As Cariocas”, “Os Experientes” segue a característica de exibir episódios independentes entre si, ou seja, cada episódio tem uma história com começo, meio e fim. Por tanto, é evidente e mais coerente, que cada episódio seja analisado de maneira individual, pelo menos no que diz respeito ao enredo.
Nesta última sexta-feira (10), a Globo exibiu o primeiro episódio da nova minissérie. Ficou no ar, a sensação de que “Os Experientes” está sendo exibida – pelo menos o primeiro episódio – de maneira despretensiosa, deixando a impressão de ser uma minissérie praticamente avulsa a Globo, por algumas razões. Primeiro, porque o elenco do episódio de estreia foi composto quase que integralmente por atores contratados, que não são vistos com frequência na Globo, ou simplesmente “deram as caras” pela primeira vez na dramaturgia da emissora, como João Côrtez, o “Ruivo do comercial da Vivo”, além de Beatriz Segall, que apesar de bastante conhecida pela suas atuações em novelas da Globo, estava longe da emissora desde 2012; Segundo porque a produção da trama ficou praticamente toda a cargo da produtora O2; E terceiro, porque a minissérie estava gravada e engavetada na emissora há mais de um ano. Por mais que a Globo alegue que a trama não foi ao ar antes por falta de espaço na grade, é evidente que se a produção tivesse empolgado à emissora, ela seria prioridade de exibição e já teria ido ao ar há muito tempo.
Então se conclui que de forma despretensiosa e até de maneira ingrata por ir ao ar no final das noites de sextas-feiras, dia e horário que a Globo tem problemas com a audiência, a estreia de “Os Experientes” com o episódio “Assalto” não fez feio, e surpreendeu quem esperava menos. É possível destacar que no conjunto, a minissérie beirou a perfeição, e isso inclui direção, edição, texto, elenco e trilha sonora. Não é todo dia que se vê algo assim na TV.
Vale destacar a atuação de João Côrtez, que mostrou que tem um talento que vai além de simples atuações em comerciais, além de Beatriz Segall, a eterna vilã Odete Roitmann, de “Vale Tudo” (1988), que apesar dos seus 88 anos de idade, pode atuar perfeitamente em mais tramas na TV.
Ainda sobrou tempo para fazer uma paródia dos atuais programas policiais, com um apresentador que muitos internautas acusaram de ser uma “cópia” de Marcelo Rezende, do “Cidade Alerta”, principalmente pelos seus trejeitos em cena.
Com uma enredo envolvente, que inclui boa reviravolta e um encerramento emocionante, a estreia de “Os Experientes” merece ser exaltada. Fica o exemplo para que produções como esta, inclusive com o tema girando em torno da terceira idade, seja visto com mais frequência na TV, e a expectativa para saber se os próximos três episódios manterão o mesmo nível do primeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário