terça-feira, 15 de maio de 2012

Entrevista: Ricardo Tozzi: "Quem sabe eu não vire cantor?"


Ricardo Tozzi
Ricardo Tozzi encara trabalho dobrado: interpreta os dois principais personagens masculinos em "Cheias de Charme"
Foto: TV Globo/Divulgação
Na sua quinta novela, Ricardo Tozzi curte o sucesso de seu primeiro protagonista. Ou melhor... Protagonistas! Pois é, apesar do pouco tempo de carreira, o ator, de 36 anos, ganhou os dois principais papéis masculinos de "Cheias de Charme".
A escalação não chegou a surpreender, visto o sucesso que o galã fez em seu trabalho anterior - o popular Douglas, de "Insensato Coração" (2011). Mesmo assim, Tozzi não gosta que se defina o personagem criado por Gilberto Braga e Ricardo Linhares como "divisor de águas". "Acredito que cada tijolo é um tijolo de uma parede que vai se construindo", explica o galã, embora admita que Douglas mudou, sim, a maneira que o mercado passou a olhá-lo.
Se evita classificar seus personagens por ordem de importância é apenas por um motivo: cada um é encarado como um passo para uma longuíssima caminhada. "Não tenho pressa. Acho que a gente constrói as coisas com solidez", explica. E procura minimizar até o fato de protagonizar uma novela. Além de garantir que nunca sonhou em ocupar tal posto, afirma que, em muitos casos, entre o protagonista e o coadjuvante... Tozzi prefere o segundo.
Da nova experiência, o rapaz destaca apenas que "é uma incumbência diferente", em que se "trabalha mais". Até porque, no seu caso, a labuta é dobrada. "Só o ganho é que não é em dobro (risos)", deixa claro. Brincadeiras à parte, Inácio e Fabian realmente estão exigindo dedicação total do ator. Para viver o primeiro, vem tendo aulas de luta; e para encarnar o cantor... Bem, aí, a lista é bem grande. São aulas de canto, dança, conversas com astros, como Michel Teló, caracterização e muito estudo sobre o universo da música sertaneja. "No meu tempo livre, escovo os dentes e vou ao banheiro", brinca, para que tenhamos ideia de como a vida anda corrida.
Divisor de águas
"É muito difícil falar sobre divisor de águas... Acho que, para o mercado, sim; para mim, não. Já fiz trabalhos que me divertiram e me realizaram tanto ou mais que o Douglas. Mas, para minha carreira, sim, porque foi uma novela das 9."
Principais papéis masculinos
"Inácio é sério, honesto, reto, não tem firula. E o Fabian é um cara inseguro fora do palco. Na ribalta, ele arrasa; fora, não sabe quem é. Me veio à cabeça o Michael Jackson dizendo que, por ele, viveria no palco, onde realmente sabia quem era."
Michel Teló 
"Conversei com o Teló, um cara muito legal, simples e que ralou tanto... Fabian não tem nada a ver com ele. Teria mais com o Inácio, que é mais tranquilo. Cantor sertanejo todo mundo conhece. Nem fiz laboratório."
Mudança de rumo
"Quem sabe eu não vire cantor (risos)?! Estou gostando muito de cantar, apesar de ser dublado (pelo gaúcho Juliano Cortuah, ex-Fama). A voz do Fabian não é a minha... Mas estou evoluindo bastante. Se Fabian fosse um cantor que estivesse começando, eu poderia cantar."
Solteiro no Rio de Janeiro
"Se tiver de ser, será. Sempre quis ter filhos, formar família... Mas a minha vida tem me levado para aventuras, coisas fortes e que me consomem. Vamos ver como vou focar em namorar, casar... Uma hora acontecerá."
Caracterização 
"Fabian tem o cabelo bem mais espetado e loiro. Eu colo os fios claros, que são apliques, cada vez que vou gravar. São 18 fitas de cabelo, demora duas horas pra fazer isso. Uso lente azul, que, quando coloco, incomoda um pouco, mas passa. As calças do Fabian são aquelas aperta-saco. É horrível! Não sei como conseguem usar um troço que aperta o dia inteiro."
Música sertaneja 
"Sertanejo universitário é uma música que me diverte, mas não ouço, porque não sou mais de balada. Estou numa outra fase da minha vida. Então, não sou fã número 1, mas admiro, gosto, não tenho nada contra. Comecei a ouvir mais agora."
Reencontro
"Fiz duas novelas com o Filipe e uma com a Isabel (eles eram colaboradores). Com ele, "Bang Bang" (2005) e "Pé na Jaca" (2006); com ela, "Insensato Coração" (2011). Filipe escreveu a novela que tive taquicardia para falar a primeira frase. Em "Bang Bang", a minha primeira cena foi com o Tarcísio Meira, nunca tinha feito nada na vida e a voz não saía. Agora, estamos juntos, num trabalho gostoso."
Fonte: Minha Novela

Nenhum comentário:

Postar um comentário