sábado, 21 de abril de 2012

Orgulhosa, Cláudia Abreu fala da Chayene de Cheias de Charme



A cantora Chayene (Cláudia Abreu) é um furacão daqueles em Cheias de Charme. Quem cruza o caminho da cantora de forró precisa abrir o olho.
 Para mim ela é uma força da natureza – define a atriz Cláudia Abreu.
Apaixonada pela megera, Cláudia revela que se encantou pela personagem já na primeira leitura.
– O que mais me seduziu é que eu não fazia novela há três anos, e tive dois filhos nesse período. Para voltar, seria bacana algo que me instigasse a deixar os meus bebês em casa – revela ao site da novela.
Para compor Chayene, Cláudia mergulhou no universo do glamour e do brega.
– Outras referências são importantes para a Chayene porque ela tem uma coisa superlativa. Tudo nela é muito mais exagerado. Então ela remete às novelas mexicanas, aos filmes do Pedro Almodóvar (cineasta espanhol). Tudo dela é mais dramático, mais histriônico – explica.
Dedicada, a atriz faz aulas de canto e é a sua própria voz nas músicas.
 Tem também as coreografias e aí você vai fazendo algo mais completo. Isso dá um charme a mais.

Caracterização fiel
Outra preocupação da atriz foi ser fiel ao sotaque piauiense, estado de Chayene, então teve aula de prosódia.
– Cantar com sotaque, falar com sotaque: é mais uma preocupação de fazer direitinho. Você não quer que o pessoal do Piauí diga ‘Aqui não se fala assim’.
Para exemplificar a "fúria da natureza" que é ChayeneCláudia explica:
– Quando ela fica furiosa, os autores colocam ‘som crescente de motor’. Eu pensei: como eu vou fazer um som crescente de motor? Só se for uma fúria da natureza, uma Conga, a mulher-gorila. São essas referências loucas que a Chayene inspira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário