quinta-feira, 15 de março de 2012

Autor de Avenida Brasil defende mocinha que age como vilã: "É a grande novidade"


Assim como em A Favorita (2008), em que Flora (Patrícia Pillar) enganou a todos como mocinha que, na verdade, era a grande vilã. Em Avenida Brasil, o autor João Emanuel Carneiro criou Nina (Débora Falabella), uma protagonista não muito convencional. A trama tem previsão de estreia no dia 26 de março.
Avenida Brasil mostra a trajetória de Nina, uma jovem que deseja fazer justiça, conta o autor. Na infância, ela sofre nas mãos da madrasta, Carminha (Adriana Esteves), e, mais tarde, perde tudo e é abandonada em um lixão. Anos depois, Nina reencontra a ex-madrasta para acertar as contas.
– O título da novela é uma referência à Avenida Brasil mesmo, local onde acontece um acidente que muda os rumos de todos os personagens – revela João Emanuel Carneiro aoExtra.
Mocinha ou vilã?
No desejo de se vingar, Nina fará coisas terríveis por uma justa causa, que é atingir quem é realmente mau. É uma heroína, que age como vilã. É a grande novidade desta novela, confidencia Carneiro.
 Nina surgiu porque sempre tive vontade de torcer pelos bandidos. Quando escrevi A Favorita eu gostava da Flora, mas não podia torcer por ela.
A Favorita surpreendeu ao público ao trocar a mocinha pela vilã e mostrar quem realmente era a má. A mesma fórmula deve funcionar em Avenida Brasil, já que as pessoas estão cansadas de mocinhas que não tomam a iniciativa e nem se defendem, como a Marina(Paola Oliveira) de Insensato Coração (2011).

Nenhum comentário:

Postar um comentário