terça-feira, 31 de janeiro de 2012

‘Amor Eterno Amor’: Carlos cresce sem conhecer a sua verdadeira origem

É em nome das juras de amor que Carlos (Caio Manhente/Gabriel Braga Nunes) procura seu amor de infância, a menina Elisa (Júlia Gomes). E é o amor incondicional que move Verbena Borges (Ana Lúcia Torre) à procura de pistas que possam levá-la a seu filho, Rodrigo, desaparecido há quase 30 anos. Sem se preocupar com o caminho árduo que percorrerão, os dois iniciam uma jornada no escuro, cheia de obstáculos, intrigas e armações, com um só objetivo: a expectativa de que um dia a vida volte a ser completa. Amor Eterno Amor, próxima novela das seis da Rede Globo, tem estreia prevista para março.
A perseverança de Verbena é invejável. Quase três décadas se passaram e ela continua em busca do maior amor de sua vida, seu filho Rodrigo. Aos três anos, enquanto brincava em uma pracinha, o rico herdeiro da família Borges sumiu misteriosamente. Rodrigo cresceu na pequena Arraial de Fora, em Minas Gerais, sem saber sobre sua verdadeira origem. O menino recebeu o nome de Carlos e foi criado como filho legítimo de Angélica (Denise Weinberg), que até a morte lutou para livrá-lo dos maus tratos do padrasto Virgílio (Osmar Prado). Assim que o carrasco percebeu os dons especiais do enteado – ele acalma qualquer animal somente com seu olhar –, não titubeou: começou a explorar o menino como uma grande atração para os circos que passavam pela cidade. Carlos (Caio Manhente) passou a ser conhecido como “o menino domador de feras”.
Uma nova vida
Os momentos de paz na infância sofrida, Carlos ganhou quando conhece Elisa (Júlia Gomes), seu primeiro amor. Uma promessa doce e inocente é selada por um amuleto que o menino jurou nunca mais tirar do pescoço – uma concha presa em uma tirinha de couro, símbolo do amor que não tem fim. Mas essa quietude não dura muito. Depois da morte de sua mãe Angélica (Denise Weinberg), Carlos foge desesperadamente. Sua vida recomeça com a carona de um caminhoneiro bem intencionado, que o leva para viver junto à sua família, na Ilha de Marajó, na pequenina Vila dos Milagres, no Pará.
Enquanto isso, no Rio de Janeiro, Verbena (Ana Lúcia Torre) descobre estar no fim da vida e, em um ato extremo, aposta no que, para ela, será a última tentativa de reencontrar seu filho Rodrigo: um apelo nacional. As pistas levam a Carlos/Rodrigo em Vila dos Milagres. Quem parte em busca da verdade sobre o menino desaparecido é a jornalista Miriam (Letícia Persiles). Já no primeiro encontro, o peão e a repórter são impactados com a profunda ligação que sentem um pelo outro, sem nunca terem se visto antes. Um choque arrebatador que os embala em uma intensa história de amor.
O inimigo mora ao lado
Sempre ao lado de Verbena, Melissa (Cassia Kis Magro) finge uma dedicação desinteressada e oferece o amor de seu filho Fernando (Carmo Dalla Vecchia), pouco mais novo que Rodrigo, na tentativa de amenizar a dor da família. Essa é só mais uma das ações dissimuladas da perigosa Melissa, que faz questão de lembrar a tragédia de Verbena todos os dias na esperança de que ela esqueça as buscas por Rodrigo e entregue sua fortuna nas mãos de Fernando, o único herdeiro dos Borges. O despeito de Melissa começou anos atrás quando foi preterida por Augusto (Reginaldo Faria), que escolheu a “sem sal” da Verbena para se casar! Enquanto Verbena teve um casamento feliz, com um homem milionário, companheiro e amoroso, Melissa acabou se casando com Dimas (Luis Melo), que é um marido submisso e um pai medíocre para Fernando.
Amor Eterno Amor é uma novela de Elizabeth Jhin com direção de núcleo de Rogério Gomes. A próxima novela das seis tem estreia prevista para o mês de março.

Nenhum comentário:

Postar um comentário